"Damos voz a quem sabe!"


 

"A minha aldeia, leva-me sempre até às minhas memórias de infância, onde ansiava pelas férias de verão, para poder ir com os meus avós para este lugar onde, junto com a minha bisavó, e os meus avós paternos, tios e amigos, me deram a conhecer uma existência diferente da vida que vivia na cidade. Sempre foi um lugar que me encheu de felicidade."

"Eu próprio desconhecia que o Presidente Marcelo Rebelo de Sousa tinha raízes familiares no território que hoje integra o município da Pampilhosa da Serra, aliás, nem sabia que a sua mãe era da Covilhã,..."

"Eu não fazia ideia que o avô paterno do Zé Pedro era da Pampilhosa da Serra, e isso foi uma grande surpresa para mim"

"O problema efetivo do concelho de Pampilhosa da Serra é o da perda constante e extremamente preocupante da sua população, já não é um problema conjuntural (deixou de o ser em 1981), hoje o problema é estrutural e infelizmente ao concelho de Pampilhosa da Serra, irá acontecer mais década, menos década, a triste situação a de ter de ser agregado a um outro qualquer município com pelo menos maior capacidade económica e capacidade de fixação de população."

"Senti que deveria encontrar um nome que espelhasse o meu imaginário artístico, que quando ouvido, pudesse criar imagens na cabeça das pessoas. A conotação dos sapatos vermelhos tem muito a ver com a minha personalidade. E as referências como o filme “Red Shoes” ou “Feiticeiro de Oz” foram determinantes nesta escolha. Os sapatos vermelhos têm super poderes e também nos levam a casa."