Rescaldo das eleições autárquicas, o dia depois

Dizia o escritor americano Samuel Langhorne Clemens, mais conhecido pelo pseudônimo Mark Twain: Toda vez que você se encontrar do lado da maioria, é hora de parar e refletir.”


Depois de conhecidos os resultados do sufrágio popular, todos os actores políticos, como de costume reclamam vitórias. Ainda bem que assim é, todos saem aparentemente satisfeitos. Todos sabemos que estas declarações estão carregadas de hipocrisia, que infelizmente abunda na arena política.

Passando agora do âmbito nacional para o regional, nomeadamente ao concelho da Pampilhosa da Serra, mais uma vez não houve surpresas, os eleitores apostaram na continuidade, tendo escolhido o Eng.º Jorge Custódio para timoneiro da edilidade.

De salientar a forma ordeira como decorreu a campanha, com as forças políticas a comportarem-se de uma forma exemplar. Os serranos são capazes de pedir meças a quem quer que seja e mais uma vez não defraudaram as expectativas.

Dizia o vencedor durante a campanha que: “somos muito poucos para nos digladiarmos, necessitamos estar unidos para remarmos todos na mesma direcção para levar o navio a bom porto”.

Assim é de facto, é de todo aconselhável, esquecer diferenças de opinião e evitar a política do bota abaixo, por vezes, só porque sim. Não que não deva haver oposição, pode e deve haver, mas de qualidade e eivada de bom senso e responsabilidade.

Quanto melhor qualidade tiver a oposição, maior será com certeza a qualidade da governação.

Quanto á futura governação será com certeza mais bem-sucedida se contar com todos, independentemente da sua área de orientação política, preocupando-se mais com aquilo que os mesmos podem acrescentar, esquecendo anteriores querelas e diferenças de opinião. Afinal todos queremos o mesmo, temos é diferentes ideias e caminhos para lá chegar. O mais importante e que está seguramente acima de pequenas diferenças é a Pampilhosa e o bem-estar dos que lá vivem 365 dias por ano.

Mesmo os Pampilhosenses na diáspora, temos concluído ao longo dos últimos tempos, haver uma grande vontade de ajudar. E sempre a título gracioso, sem pedir nada em troca, sem querer protagonismos, sem querer ensinar nada a ninguém, mas todos em conjunto aprendermos uns com os outros.

Temos consciência, que temos uma massa critica de enorme qualidade, alguns, com provas dadas quer no seu percurso de vida, quer nas excelentes carreiras profissionais que protagonizaram, já nada precisam provar. Todos os com quem tivemos algumas conversas, estão dispostos a colaborar, isto desde que os nossos dirigentes achem que acrescenta mais valor a transmissão destes conhecimentos e experiências de vida.

Para terminar queríamos desejar os maiores sucessos aos vencedores, e que a Pampilhosa nos próximos quatro anos continue a caminhar nos caminhos do progresso e desenvolvimento sustentável.

Pela parte que nos toca, cá estaremos para colaborar e ajudar no que estiver dentro das nossas possibilidades.

 

Barata Lopes

 

0
0
0
s2sdefault