"Hoje tudo é diferente de alguns tempos atrás, senão vejamos, todas as nossas aldeias estão dotadas de excelentes vias de comunicação, com ótimas condições, dispõe ainda de outras infraestruturas essenciais para viver bem e com comodidade, comercialmente, no nosso mercado temos também o essencial, portanto eu direi que existe uma excelente qualidade de vida no nosso território."


Nos tempos que correm, nem sempre é sinónimo de viver no paraíso. As distâncias, as dificuldades de acesso, e muitas vezes a falta de oportunidades, ditam o abandono das aldeias e vilas do interior na procura de vida melhor nos grandes centros urbanos.

Quisemos ouvir de "viva voz", a opinião dos que labutam dia a dia, nas terras do interior.

"Longe da multidão, longe das cidades perto do coração", pode não ser de todo uma afirmação romântica.

 Hoje ouvimos,  Albino Barata, que vive na vila de Pampilhosa da Serra

SerrasOnline - News – Quem é o Albino Vaz Dias Barata, o que faz profissionalmente

Albino Barata- Ora bem, é sempre muito difícil dissertármos, ou falarmos de nós mesmos, porém assente na minha longevidade vou abster-me de comentar em pormenor, o meu percurso de vida, todavia, comentarei factos mais importantes sobre os quais tenho algumas vaidades, outras nem tanto, mas sem nada estar escangalhado, começo por dizer que nasci na aldeia de Brejo de Baixo, no ano de 1948, filho de uma família humilde, que me orgulho de falar dela se necessário for, aldeia onde fiz a escola primária até ao exame da 4.º classe, me mantive, exercendo as muitas tarefas agrícolas e outras que faziam parte integrante do mundo rural das nossas aldeias.

Aos 16 anos, por influência familiar fui para Lisboa, o meu primeiro trabalho, sob proteção de alguém da minha freguesia, operando como encarregado de pessoal, no serviço Portuário daquela Cidade, “escuso-me de revelar o seu nome”, eu feliz da vida protegido pelo meu superior, lá fui desempenhando as tarefas que me iam sendo distribuídas.

No ano de 1969, ingressei no serviço Militar, Ramo Força Aérea, rumando a Moçambique, guerra Colonial, em dezembro desse mesmo ano, caminhada que praticamente, todos os jovens da minha geração estavam obrigados a percorrer, cenário que não me deixou saudade.

Chegado de regresso à Metrópole, como se lhe chamava naquela altura, existindo na nossa zona e nomeadamente em Brejo de Baixo, um grande fluxo Migratório, eu não fui exceção, movido por essa apetência, emigrei para o Canadá, Província do Quebeque, ano de 1973 uma linda experiencia! Após 6 meses de trabalho, ligado a Industria Hoteleira, comecei a verificar que a Emigração teria muita importância, para pessoas qualificadas, o que não era o meu caso.

A senda da Emigração, continua, tempos Áureos! em primeiro lugar, próprio da idade e segundo propício fluxo migratório existente, naquele tempo começou a fervilhar no meu subconsciente que devia emigrar para França, facílimo, embarquei no avião no aeroporto de Montreal aterrei em Paris, sem qualquer problema, país onde já estavam alguns familiares meus, por onde andei 6 anos, é bom que se diga, a vida de emigrante não é fácil, o lema continuava, salvo raras exceções, para se vingar e ter sucesso era necessário qualificação.

Meu querido país, minha querida Pampilhosa, reabriu-me as portas no ano de 1981, estabeleci-me no Ramo da Industria Hoteleira, na nossa querida sede de concelho, Pampilhosa da Serra, decisão assertiva, tomada já em parceria com minha cara-metade, nessa altura já existiam responsabilidades familiares, começando aí o percurso, que eu denomino, reintegração e caminhada para a vida, no ano de 1982, caminhando na área comercial, seguiu-se a Retrosaria e Restaurante a Lareira, em seguida fez-se luz noutra área, que abracei com muito carinho, através de um Professor da Lousã, que lecionava para uma entidade denominada CENTEC, sedeada em Vila Franca de Xira, no ano de 1985 ingressei num curso profissionalizante na área da contabilidade, em seguida Castelo Branco, Escola Nuno Alvares, tendo terminado no ano de 2006.

Outra etapa se avizinhava ao tempo, aí já em forma de quem almejava ir mais alem, no ano letivo de 2008/2009, candidatei-me ao Ensino Superior, Instituto Superior Técnico de Contabilidade, em Coimbra, sendo nesse ano interrompidas as minhas aspirações, por uma doença que se prolongou por mais de quatro anos, momento em que pensei que o mundo tinha desabado para cima de mim, intervencionado cirurgicamente, a natureza e a ciência encarregou-se de me permitir seguir em frente a minha vida, mas claro a outro nível,-- Chega de drama!, quando se é idoso os comentários programáticos são mais longos, profissionalmente sou contabilista Certificado.

SerrasOnline News – Como é viver longe dos Grandes Centros?

Albino Barata- Sob o ponto de vista de qualidade de vida, terei que dizer, as pessoas que vivem longe dos grandes Centros designadamente no nosso território, desde que tenham um salário ou rendimentos competitivos, com as exigências da vida, vivem sem qualquer obstáculo, a “par” quebra do calor humano. Hoje tudo é diferente de alguns tempos atrás, senão vejamos, todas as nossas aldeias estão dotadas de excelentes vias de comunicação, com ótimas condições, dispõe ainda de outras infraestruturas essenciais para viver bem e com comodidade, comercialmente, no nosso mercado temos também o essencial, portanto eu direi que existe uma excelente qualidade de vida no nosso território.

SerrasOneline News – O que mais lhe faz falta na sua aldeia?

Albino Barata- A minha aldeia, sob o ponto de vista de infraestruturas, relativamente a muitas outras, é, foi uma aldeia altamente privilegiada, possui uma excelente rede de esgotos, uma ótima rede de águas, arruamentos com muita nobreza, quero eu dizer com isto “nobreza” uma grande parte da aldeia está empedrado em cubos de “granito” ao tempo tivemos o prazer de ter umas luxuosas ruas, pese embora tenha havido uma longa caminhada e intervenção de diversas entidades, estou a falar ainda do tempo da Presidência do Falecido Senhor, José Augusto Veiga Nunes de Almeida, naquele tempo ainda existia o tal vocábulo, Regionalismo, liga de melhoramentos, União Progressiva de Brejo de Baixo, esteve na linha da frente para a realização daquela obra, tudo se desenvolveu através da CCDR de Coimbra, foi necessário uma longa negociação e um grande empenho das pessoas envolvidas, mas cantou-se vitória, os Homens e Mulheres que faziam parte dos Órgãos Sociais daquela Coletividade, bem como o Sr. Presidente do nosso Município da altura, deverão sempre ser recordados e reconhecidos pela povoação, pelo árduo trabalho realizado sem nada quererem em troca, bem-haja.

SerrasOnline-News – Como vê o seu futuro na sua localidade

Albino Barata- A questão apresentada, remete-me para uma resposta sem grande futurologia, na certeza porém que, a minha aldeia tem todas as condições para viver, enquanto não existirem situações que não exijam outros procedimentos, como por exemplo, falta de mobilidade, assistência médica, esta sim é uma variável altamente preocupante, mas isto também pode acontecer num grande centro, a assistência médica, em tempos de pandemia, no nosso Centro de saúde e extensões, de Pampilhosa da Serra, até tem dado resposta e tem estado a altura, direi mesmo, relativamente a algumas regiões, com mais aglomerado populacional, temos tido uma assistência medica brilhante assim como serviço de enfermagem, nem tudo é tão negativo como por vezes ouvimos comentar em espaços públicos, por conseguinte pessoas menos bem informadas manifestam negativamente os casos reais do dia a dia, sou defensor pessoalmente, sempre tive algum cuidado em acompanhar de perto o desenvolvimento de algumas atividades, até mesmo aquelas que como sabemos são de muita delicadeza, sobre elas devemos estar atentos e comentar com justa causa, positiva ou negativamente, é evidente que poderia haver uma cobertura mais assídua nas aldeias, onde existem pessoas mais idosas e que por força da sua idade necessitam de mais acompanhamento médico, a esse propósito, recordo que houve em tempos uma ideia brilhante de alguém, creio do “Sr. Dr. Anselmo Gonçalves” que propôs, apetrechar uma carrinha para médicos e Enfermagem, tendo em vista esse acompanhamento, ideia que nunca se chegou a concretizar pelo poder instituído.

SerrasOnline – News – Se pudesse dirigir-se aos decisores políticos o que lhe diria?

Albino Barata- Neste caso particular, é evidente que cada um de nós, está dotado de ideias, compreensão e interpretação diferenciadas, no meu caso particular, particularizo excecionalmente a desconstrução de muitas das medidas que tem vindo a ser implementadas, e com custos bastante elevado para os munícipes, convirá também salientar, que muito de bom foi feito, tanto ao nível material, Social, educativo e circunstancialmente ao nível da saúde.

Todavia apetece-me fazer alguns reparos, designadamente a um passado bem recente, em que nos foi imputado um gesto e ou serviço, que sendo uma função natural do Município, abastecimento de água e respetivo tratamento dos resíduos sólidos, preferiram os nossos governantes transferir essa função e estes serviços para uma entidade que, eles também ajudaram a criar, cujo nome sonante todos conhecemos, APIN, personalidade Jurídica, Empresa Intermunicipal de Ambiente do Pinhal Interior. Alguns políticos não gostam das discordâncias, ficam muito zangados, de outros terem opiniões diferentes, com muita facilidade, sobem o tom de voz em forma intimidatória, não dando espaço para o funcionamento da democracia, o existencialismo está ao alcance do homem, assim ele tenha capacidade intelectual para resistir as pressões que o rodeiam, não com o intuito da sua redenção, mas sim espaço para cada ser humano se poder expressar livremente, sou munícipe, sou votante, com direito a ser candidato, este último, porque estamos em democracia, servi com muita dignidade, apliquei todo o meu saber e inteligência, para melhor servir as populações que me elegeram para presidente da Freguesia de Pampilhosa da Serra, durante 12 anos, por essa via, Deputado Municipal, sempre estive ao serviço de todos e não só de alguns, não silenciei vozes discordantes, não utilizei métodos de caráter humilhatório, sempre respondi a todas as solicitações, fossem a favor ou desfavoráveis, nunca beneficiei ninguém em detrimento de outros, para mostrar a minha força não é necessário a utilização dessa vitamina.

Não podemos sucumbir ao peso das correntes da ilusão, não quero estar na torre do castelo, mas sim bem situado, em local protegido sem receio de ser atropelado, puxando a arreata da igualdade e não tremer para a condescendência.

SerrasOnline News – Qual a sua Mensagem Final?

Albino Barata- Pergunta de muito fácil resposta, estamos no ano de eleições Autárquicas, vou deixar um apelo muito sentido, aos próximos políticos, com incumbência e legitimados pelo sufrágio universal, eleitoral, que decorrerá no fim do ano, a governar o nosso concelho, estudem ou mandem estudar, as melhores soluções, medidas a aplicar para o desenvolvimento sustentado do nosso concelho, nós temos personalidades no nosso concelho, especialistas em diversas áreas, de certeza que estarão disponíveis para darem contributo especializado na aplicação de medidas no concelho de Pampilhosa da Serra, saibam ouvir essas personalidades, apetece-me sugerir nomes, mas como não estou mandatado por ninguém, vou abster-me de o fazer, acrescento não invistam o nosso dinheiro, sem um estudo prévio por quem tenha competência e, esteja dotado de conhecimentos para o efeito, evitem folclore e investimentos supérfluos, evitem as megalomanias, dispensamos ser incomodados durante dois meses seguidos, com barulhos ensurdecedores, basta, pensem antes na estagnação da desertificação do nosso concelho, construam pontes para manter o ativo do nosso concelho, segurem mesmo que não gostem de alguém, os nossos jovens, não os deixem ir embora, eles não só são o futuro do país, mas também o futuro do nosso torrão, deixem as pessoas investir tranquilamente, sem burocracias, obriguem o cumprimento da Lei, mas permitam tratamento de igual para igual, pois é, o nosso concelho tem 396km2 quadrados.

Aos jovens, - não se desmotivem, sejam pacientes, instalem-se no concelho de Pampilhosa da Serra, existem muitas razões para gostarmos do nosso concelho, porque se não for convosco, dentro de alguns anos, o nosso concelho será anexado a um qualquer concelho da periferia, vamos lutar para que isso não aconteça.

0
0
0
s2sdefault