"Se por um lado, quem tem um salário razoável vive bem em Pampilhosa da Serra, acho que temos de saber colocar-nos do lado de quem nada tem ou que têm pouco para fazer face aos constrangimentos de viver na Serra!"

Nos tempos que correm, nem sempre é sinónimo de viver no paraíso. As distâncias, as dificuldades de acesso, e muitas vezes a falta de oportunidades, ditam o abandono das aldeias e vilas do interior na procura de vida melhor nos grandes centros urbanos.

Quisemos ouvir de "viva voz", a opinião dos que labutam dia a dia, nas terras do interior. "Longe da multidão, longe das cidades perto do coração", pode não ser de todo uma afirmação romântica.

Hoje ouvimos, Ricardo Miguel Vicente Serra, que vive na Póvoa, Freguesia de Pampilhosa da Serra


SerrasOnline News - Quem é o Ricardo Miguel Vicente Serra, e o que que faz profissionalmente?

Ricardo Serra – Tenho 41 anos de idade, nascido e criado na localidade da Póvoa Pampilhosa da Serra. Como se costuma dizer por estas bandas, sou um “Pampilhosense de Gema” que colabora na dinâmica comunitária através das funções que vem desempenhando como Deputado Municipal e Presidente da Comissão de Melhoramentos da Póvoa.  Profissionalmente trabalha na empresa Pampiseguros Mediação de Seguros Lda., como Comercial na área dos seguros em todos os ramos, empresa sediada em Pampilhosa da Serra, e que conta com mais dois escritórios; um no concelho vizinho de Oleiros e outro na Cidade de Castelo Branco.

SerrasOnline News - Como é viver longe dos grandes centros?

Ricardo Serra – Viver longe dos grandes centros tem vantagens! O ritmo de vida não é tão frenético, a qualidade de vida, para quem tem a felicidade de ter um emprego, na sua globalidade é boa.  E depois temos (para os que podem) a possibilidade de ir a Coimbra ou a Castelo Branco e ter acesso, por momentos, a tudo o que os grandes centros possuem. No entanto, tenho perfeita noção que uma grande parte da população não tem essa facilidade. Temos um Concelho desertificado, onde a maioria ganha salários baixos, a população é cada vez mais envelhecida, as acessibilidades não são as melhores, (tanto para quem chega como para quem quer sair), os transportes públicos são limitados. Tudo isto faz do viver na Pampilhosa da Serra uma grande aventura! Muitas vezes só mesmo o grande amor às origens e a resiliência das pessoas tornam possível residir aqui e fazer aqui a sua vida!

Se por um lado, quem tem um salário razoável vive bem em Pampilhosa da Serra, acho que temos de saber colocar-nos do lado de quem nada tem ou que têm pouco para fazer face aos constrangimentos de viver na Serra!

SerrasOnline News - O que mais lhe faz falta na sua aldeia?

Ricardo Serra – Na minha aldeia (Póvoa) que está bastante perto sede de concelho, as carências são menores que em outras aldeias do Concelho! Ainda assim, realço a falta de uma distribuição de água mais eficaz e de qualidade, pois a canalização existente data da década de 60 e foi feita com fundos da Comissão de Melhoramentos! Hoje, passados 60 anos ainda temos a distribuição em lusalite, que conta com alguns problemas para não mencionar que a lusalite tem fibrocimento, material perigoso e já proibido em Portugal.

Já tive oportunidade de alertar diversas vezes, em sede de Assembleia Municipal, para esta situação, mas até à data e depois de ter sido informado que a entrada na APIN iria resolver este tipo de problemas, o mesmo continua a persistir.!

Felizmente na minha aldeia ainda residem cerca 50 pessoas das quais 10 são crianças. É uma alegria poder assistir aos seus momentos de brincadeira que animam o centro da Aldeia, podendo usufruir da natureza e de qualidade do ar e bem-estar que muitas crianças residentes nas cidades não têm acesso! Do meu ponto de vista tudo isto não tem preço! Podem faltar muitas coisas, mas temos o bem mais precioso para os dias atuais, o acesso ao Poder da Natureza!

SerrasOnline News - como vê o seu futuro na sua localidade

Ricardo Serra – Mais que ver o meu futuro na minha localidade sinto-me na obrigação, até como deputado, de ver o futuro de todas as Aldeias e do futuro dos Pampilhosenses no geral. A Pampilhosa sempre foi um território pobre, sem grandes oportunidades, a sua população sempre teve necessidade de migrar para outras paragens! A escassez de postos de trabalho, as dificuldades nas acessibilidades, o pensamento que “viver na Pampilhosa” esteve sempre conotada a pobreza e escassez…. económica, social e culturalmente e ao nível educacional.

Felizmente há uns anos a esta parte essa realidade começou a ficar atenuada, mas ainda temos pessoas, que mesmo trabalhando na Pampilhosa da Serra, vivem em outras paragens, deslocando-se todos os dias para vir trabalhar para o Concelho.  Gostava de assistir ao inverso, pessoas que mesmo trabalhando fora, gostassem de viver na Pampilhosa ou nas Aldeias! E outras ousassem investir mais na Terra! Criar o seu próprio emprego! A Pandemia fez crescer a oportunidade de criação de empregos online…  Sei que é um desafio quase difícil de atingir, mas continuo a idealizá-lo como possível!  Temos para isso de ser resilientes e persistentes! Unir esforços do foro privado e público!

SerrasOnline News - Se pudesse dirigir-se aos decisores políticos o que lhes diria?

Ricardo Serra – Tenho o privilégio enquanto deputado de me poder dirigir aos decisores políticos, de ir alertando para situações que ocorrem no Concelho! Nós não temos nem devemos ter o sentimento de sermos  “os coitadinhos”! Algo de diferente tem de acontecer na Pampilhosa pois de ano para ano perdemos população, perdemos eleitores, e, consequentemente, também, perdemos força política a nível Nacional.

Não basta dizer que não se pode fazer nada, temos de pensar “fora da caixa”, algo tem de acontecer! Simplificação e ajuda a quem quiser investir no concelho, ao invés de colocar dificuldades e entraves. Quem decide tem de dar o sinal de força e de facilidade! É fácil aqui investir, explicar as vantagens, simplificar as burocracias… a atitude tem de ser de encorajamento do Investidor.

O apoio ao Investidor tem de ser total, sem preconceito e com isenção mesmo que o investimento seja idêntico a algum já existente! O objetivo deve ser trazer pessoas, fixar o máximo possível, pois o abrir das “fronteiras” tem de ser uma prioridade!

Temos recursos naturais de excelência e a aposta no Turismo de Natureza é de facto um caminho, mas está na altura de o repensar e analisar numa perspetiva a longo prazo! Será que o território nas suas infra-estruturas está preparado para receber turistas? Que tipo de turistas se pretende? Que condições no próprio território lhe oferecemos? São algumas perguntas que deixo para refletirmos!

SerrasOnline News - Qual a sua mensagem final?

Ricardo Serra – A minha mensagem final é de que devemos continuar a lutar , ser resilientes, de acreditar nas potencialidades do nosso Concelho,  de pensar a longo prazo: O que queremos para a Pampilhosa a 10/20 anos (?) e não o pensamento recorrente a 4/8 anos! Tentar fixar gente com capacidades, ensinar às gerações mais novas a nossa cultura, os saberes das pessoas com mais idade que se vão perdendo no tempo! A nossa gastronomia é de uma riqueza ímpar! Os Maranhos, a Chanfana, o Cabrito, os Fumeiros, etc… tudo iguarias que estas gerações vão deixar-se de confecionar com o “toque” tradicional! Porque não encorajar os mais novos a aprenderem enquanto os de mais idade ainda estão presentes e capazes?

Finalizo, agradecendo ao SerrasOnline News a oportunidade desta entrevista e de permitir partilhar os meus contributos para a reflexão que deve ser feita entre todos os atores Pampilhosenses sobre o futuro do Concelho.

0
0
0
s2sdefault