Na última sessão da Assembleia Municipal realizada dia 19 de fevereiro de 2021, ficou nas palavras do senhor Presidente da Câmara que: “preocupa-o o traçado da EN-112, entre a Pampilhosa da Serra e o Gavião”, ficou ainda a eventual (aguardemos) resolução da estrada Pampilhosa da Serra-alto das Aldeias e cruzamento para a Maria Gomes.

A mim em particular preocupa-me há muitos anos (mais de 30) e tenho pena que o senhor Presidente da autarquia só agora no fim do último dos três mandatos que conclui venha dizer uma verdade por todos reconhecida, mas, apenas e agora reconhece com a afirmação em Assembleia Municipal de que “espera que as Infraestruturas de Portugal (I.P) aproveitem uns dinheirinhos que sobrem de outras obras para aplicar numa eventual recuperação da EN-112 (Pampilhosa da Serra-Gavião).

Não bastando isso veio de novo “próximo de uma campanha eleitoral” lançar a ideia de uma nova ponte a “TAL” PONTE QUE LIGARÁ Malhada do Rei à ligação Casal da Lapa-Portela de Unhais (próximo da confluência para a Quinta dos Muros) a malfadada quinta que iria ser a absorvente do CIRVER, (Centro de Tratamento de Resíduos Perigosos) lembram-se? Eu lembro-me e Bem (2003/ 2005).

Ainda esta estrada entre a Casa do Guarda no alto Vidual e o alto da Malhada do Rei estava em construção e sabíamos que a sua conclusão seria em ponte sobre um braço da barragem de Santa Luzia (2007/2008) e que terminaria próximo da quinta dos muros (foi discutido em reunião de Câmara na qual eu à data exercia funções de Vereador sem competências atribuídas, mas que estava atento aos assuntos que eram discutidos.

Esta é mais uma promessa, que não será cumprida a Bazuca tão referida nesta sessão da Assembleia Municipal não resolve tudo e de certeza existirão outras preocupações a nível Nacional onde investir este dinheiro.

Tenho pena que de facto se desperdicem forças, dinâmicas e numa fase final de mandato autárquico pela imposição da lei venha o senhor Presidente da Câmara fazer meia culpa. Teve muito tempo para o fazer. Simplesmente não o quis fazer.

Sei que a História dos mandatos autárquicos estão por fazer, ou sequer algum dia serão feitos, sei e afirmá-lo-ei sempre que questionado que este mandato do atual Presidente da Câmara (2017-2021), foi  o seu pior mandato, o (Covid criou problemas a partir de Março de 2020), até esta data (foi eleito em início de outubro de 2017) teve três anos para fazer trabalho, o que resultou foi uma mão cheia de pouco mais de nada. Preocupou-se com o seu desempenho em Associações em que o Município da Pampilhosa da Serra estava representado e até nessa matéria prestou e presta uma má assessoria na APIN- O concelho da Pampilhosa da Serra continua e vai continuar à espera de um cabal esclarecimento sobre esta agregação. Motivos mais do que suficientes para os cidadãos de Pampilhosa da Serra, pelo menos ponderarem em quem querem votar em outubro de 2021. Escolham, sejam honestos, o concelho terá um futuro mais ou menos nublado em função das escolhas.

As fotografias a cores nas secções sociais dos jornais regionais, não resolvem os problemas que o concelho enfrenta.

 

Anselmo Gonçalves

Membro eleito pelo Partido Socialista na Assembleia Municipal de Pampilhosa da Serra.

 

0
0
0
s2sdefault