Uma Pampilhosense na Diáspora auxilia bombeiros portugueses

Hoje trazemos ao SerrasOnline uma lisboeta com raízes nas nossas serras, no caso nas aldeias de Vale de Pereiras e Vale Serrão, Pampilhosa da Serra. Falamos de Olga Gaspar, cujos pais, são sobejamente conhecidos nas serras da Pampilhosa. Falamos do casal, Alda Pereira e José Bernardo Neves Pereira, este infelizmente já falecido.

Olga apesar de ter nascido em Lisboa, sempre teve uma ligação muito estreita com as aldeias serranas de onde são oriundos os pais.

Viveu algum tempo na vila de Pampilhosa da Serra, onde teve em conjunto com a mãe um bar chamado Diligência, que na altura era o único espaço de diversão, onde se podia beber um copo fora de horas e ouvir uma boa música.

Foi precisamente neste local que veio a conhecer o seu marido, Paulo Gaspar, ele natural da Pampilhosa, com quem constituiu família.

A procura de uma vida melhor, levaram-nos como tantos outros nossos conterrâneos a emigrar procurando oportunidades que lhes eram negadas no seu próprio país. Vivem actualmente em Grabs no cantão de St Gallen, na Suíça.

Sempre que podem, normalmente no Natal e invariavelmente em Agosto marcam presença na Pampilhosa onde têm residência, para matar um pouco a enorme saudade que sentem do seu cantinho e das suas origens.

Apesar de longe e de uma vida profissional intensa, não esquecem as suas origens e as dificuldades de uma região periférica, muitas vezes esquecida pelo poder central.

Herdou os genes da sua mãe, que como Olga é uma mulher incansável, podemos mesmo afirmar ser uma “força da natureza”. Olga tem tido uma colaboração a todos os títulos notável com os Bombeiros voluntários, não só da Pampilhosa, mas de vários locais do país. Equipamentos, alguns já usados pelos bombeiros suíços estão ainda em bom estado de conservação e cumprem os requisitos de proteção e segurança, para poderem ser usados pelos nossos bombeiros.

Grandes quantidades de material têm sido canalisadas graças ao empenho e à dedicação de Olga a estas nobres instituições, de quem por vezes e tão injustamente, só nos lembramos quando ocorre alguma catástrofe. Para o transporte para Portugal há que salientar a colaboração da empresa de transportes de nome Aquiviagens de Vila Real, na pessoa de Manuel Chaves, que segundo Olga “tem sido o seu anjo da guarda”, que o tem feito a um preço apenas simbólico.

Comecemos agora por dar a conhecer aos nossos leitores quem é a Olga Gaspar através do seu testemunho.

SerrasOnLine News – Fale-nos um pouco de si. Quem é a Olga?

Olga Gaspar - Sou a Olga, nasci em Lisboa, filha de pais serranos, quis o destino que eu encontrasse o amor da minha vida na vila mais linda do nosso maravilhoso país, sou casada com Paulo Gaspar, Pampilhosense de gema, tenho dois filhos, e há 14 anos que estou emigrada na Suíça.

 SerrasOnLine News - Para alguém que nasceu em Lisboa, explique-nos o porquê desta dedicação e empenho em contribuir para esta prestimosa ajuda aos bombeiros?

Olga Gaspar - Nasci e vivi até aos 23 anos em Lisboa, mas sempre ligada à Pampilhosa da Serra onde passava sempre as ferias escolares e mais tarde as férias normais. Esta ligação existe por várias razões:

1º Porque sempre tive muitos familiares bombeiros.

2º Porque amo a Pampilhosa.

3º Porque salvaram a vida da minha filha, e do meu paizinho por várias vezes.

4º Porque lhes estou grata pelos 17 anos que acompanharam o meu pai, e por último, porque o comandante Marco Alegre apesar de ser família é o meu orgulho, como costumo dizer é o outro amor da minha vida. Por isto, e por amizade e orgulho que tenho em todos, nunca retribuirei o que já recebi.

SerrasOnLine News – Que corpos de bombeiros já ajudou?

Olga Gaspar - Pampilhosa da Serra (sempre como prioridade), Cabo Ruivo em Lisboa, Beato e Penha de França em Lisboa, Sesimbra, Santa Comba Dão, Brasfemes, Mação, Proença a Nova, Castanheira de Pera, Oleiros, Pinhão na Régua, Serpins, Pirotecnia Oleirense, Vila Nova de Oliveirinha.

SerrasOnLine News – Tem sido boa a recetividade das corporações?

Olga Gaspar - A receptividade é igual à de quando se oferece um brinquedo a uma criança, adoro vê los com os olhos a brilhar e de sorrisos rasgados.

SerrasOnLine News – O transporte para Portugal tem sido algo difícil. Quem tem colaborado e ajudado a Olga com esta logística?

Olga Gaspar - Em relação ao transporte encontrei os meus “anjos da guarda”, como costumo dizer, é uma empresa de Vila Real, a Aguiviagens onde só tenho a agradecer ao sr. Manuel Chaves e ao seu motorista Sr. José Carvalhais pelo carinho e disponibilidade que tiveram sempre em me ajudarem. Tirando eles, sou eu e o meu marido, que organizamos, vamos carregar, entre outras tarefas.

SerrasOnLine News – O material cedido pelos bombeiros e outras organizações suíças, é todo já usado ou também cedem material novo?

Olga Gaspar - Diremos que é quase meio por meio, tanto novo como usado, tanto das corporações como das empresas

SerrasOnLine News – Já equacionou para além desta colaboração, haver também troca de experiências em termos de formação entre os portugueses e os suíços?

Olga Gaspar – Sim, temos falado nisso, mas a língua é um entrave. Eu vivo na Suíça alemã, mas pode ser que aconteça qualquer dia, porque não?

SerrasOnLine News – Tem com certeza recebido alguns elogios.  Como tem encarado estas situações?

Olga Gaspar - Tenho recebido muitos elogios graças a Deus, encaro-os com simplicidade, simples como sou, apenas babada e orgulhosa, apesar de estar longe conseguir ajudar.

 

SerrasOnLine News – Pretende continuar com o mesmo afinco e dedicação com este trabalho a todos os títulos notável?

Olga Gaspar - Assim espero, conforme for recebendo aqui, continuarei a dividir um pouco entre muitos.

SerrasOnLine News – Agora indo mais para o campo pessoal, como foi este verão devido aos motivos por mais conhecidos de todos nós, não poder estar na Pampilhosa para o merecido descanso?

Olga Gaspar - Este verão só existiu no calendário. porque para mim verão sem Pampilhosa não é verão, decidimos não ir por nossa segurança e pela segurança dos que lá vivem, não está a ser fácil, mas eu sou valente como os meus bombeiros

SerrasOnLine News – Num futuro, esperemos nós que, não muito longínquo pretende regressar de vez à Pampilhosa?

Olga Gaspar – Sim, claro, assim que a idade o permitir.

SerrasOnLine News – Para terminar quer deixar alguma mensagem aos Pampilhosenses residentes e aos da diáspora?

Olga Gaspar – Apesar de estarmos longe nunca se esqueçam dos nossos cheiros, das nossas gentes, enfim nunca se esqueçam da Pampilhosa da Serra.

 

 

 

0
0
0
s2sdefault