É pampilhosense, vive em Coimbra , e tem um gosto especial pela pintura. Guardou cabras, aguardou horas sem fim pela mãe enquanto esta trabalhava, e aproveitou o tempo para apurar um gosto, que lhe vinha desde criança.

Ao ver o seus quadro é inevitável não pensar em Pablo Picasso, no período de Classicismo e surrealismo. Diz-se apreciadora das obras do pintor simbolista austríaco Gustav Klimt.

Na sua pintura, os motivos são vários, de composição simplista mas de traços quentes e seguros, demonstrando um especial gosto pelas emoções. Apreciadora do trabalho de António Bouça, professor pintor nascido na aldeia de Padrões, tal como ele desenvolveu o gosto pela pintura e pelo desenho.

SerrasOnline - Nada melhor do que iniciar a nossa conversa pelo mais simples. Quem é a Carla, e o que faz atualmente?

Carla Brito – Eu sou a Carla Alegre, da família dos Alegres de Brito, digo sempre aos meus amigos que já nasci alegre e irei morrer alegre.

O tempo que cá estiver quero aproveitar e deixar a minha marca, a marca das gentes da serra, como muita garra que é assim que me vejo… apaixonada pela vida, pela serra, pelos  rios  que a atravessam,  pelas pessoas simples e de bom trato.

Sempre gostei,  não só  de “ler” livros, mas de ler as pessoas com quem contacto, interpretar sinais. Por amar crianças desde sempre me identifiquei com o sorriso fácil com que elas nos presenteiam.

O meu primeiro trabalho foi a tomar conta de crianças, era uma criança a tomar conta de outras crianças , tinha apenas 12 anos. Sonhava estudar e ser Educadora de Infância, o que não aconteceu , mas fui durante muitos anos Auxiliar de Educação em jardins de infância e escolas no concelho de Arganil, adorava trabalhar com crianças.

Venho de pais que não sabiam ler e escrever mas que sonharam um dia os filhos saberem ler…. Com 16 anos  fui estudar para Arganil onde concluí o 12º ano, tendo   posteriormente casado e constituído família.

Vivi  22 anos em Arganil.  

SerrasOnline - Alguém na sua família lhe seguiu os passos, ou gosta de pintura e arte como a Carla?

Carla Brito – Atualmente a minha filha com 25 anos é mestrada em Tradução pela Universidade do Porto, mas mais que isso, tem também o gosto pelas artes como a mãe e o irmão com 20 está na faculdade a tirar relações internacionais e aprendeu música. Enquanto os meus filhos cresceram sempre houve tempo para nos dedicarmos aos passatempos, fazendo uso o melhor possível do nosso gosto em criar.

SerrasOnline - Ser mãe de dois filhos, e dona de casa, ter uma profissão, e amar a pintura, não deve ser fácil. Como encontra tempo para essa paixão?

Carla Brito – Esta paixão como todas as paixões faz parte de mim, nasceu comigo…gosto de imaginar o momento daquilo que vou pintar, há quadros que nasceram pensando, sentindo um abraço, um cheiro, um sorriso, um som…o riso dos meus filhos sempre me incentivou a desenhar e pintar mesmo que fique só um esboço, ficou a recordação do momento. O tempo que dedico á pintura é o meu tempo…um tempo que nunca tira…mas acrescenta, porque ficamos mais ricos e com sentimento de traduzir o que nos vai na alma… e como disse ambos gostam de arte e a mãe deles sempre gostou de “Rabiscar”…Hoje são adultos e tal como eu procuram fazer o que gostam.

SerrasOnline - Em que se inspira para pintar?

Carla Brito – Não sei bem, nasce a vontade de desenhar algo com que me identifique, e com ela nasce a inspiração… depois começo e é como se tivesse que matar a sede, mas mato-a com as cores as flores, as crianças, os sorrisos dela. Às vezes também coloco sentimentos menos bons nos meus quadros, porque mais que uma tela ou um desenho os meus quadros são para ler…não só para admirar., uma leitura que cada um de nós pode sentir diferente mas em algum momento sentiu igual a todos os outros…é assim que gosto de pensar.

SerrasOnline - Há algum factor nas Serras Da Pampilhosa, que contribuem para a sua inspiração?

Carla Brito – Existe sim um factor, é aquela alma, aquela mensagem de Serra tão familiar , tão imensamente bela , aqueles recantos que percorri, aquele cheiro aos pinheiros com Resina, (meu pai trabalhava na Resineira)  talvez por isso gosto tanto de pintar arvores…

SerrasOnline - Localmente, já teve oportunidade de mostrar publicamente o seu trabalho?

Carla Brito – Não, ainda não tive essa oportunidade, também porque muitas pessoas não conhecem o meu trabalho, pois sempre foi uma coisa mais pessoal, agora com o facebook é que vou partilhando o que vou criando.

SerrasOnline - Como aceitam localmente as pessoas, a suas pinturas?

Carla Brito – Geralmente as pessoas identificam-se com elas ou entendem o eu quis desenhar, transpor no papel ou tela, talvez porque consigo faze-las sentir aquele momento da imagem da tela…

SerrasOnline - Se fosse convidada, estava disposta a expor os seus quadros no concelho de Pampilhosa da Serra?

Carla Brito – Gostaria muito. Mas é uma grande responsabilidade, Não sei se estaria a altura

 

0
0
0
s2sdefault